Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Louco por motos

Coragem: caminhão X moto

por Mário Sérgio Figueredo, em 14.11.08

 

Por ter vivido uma experiência aterrorizante com uma motocicleta de baixa cilindrada na estrada, jurei que nunca mais viajaria com qualquer moto que não cnseguisse andar com folga na frente dos caminhões, situação que vou relatar no final deste texto.

 

Mas olho com extrema simpatia àqueles motoqueiros de corpo e alma que não se intimidam com nada e vão para a estrada com qualquer moto, com qualquer tempo.

 

 

Tenho um amigo que retrata bem esse tipo de motoqueiro, é o Júnior, que já me contou algumas proezas dele na estrada com a esposa na garupa.

 

A mais impressionante das suas viagens foi de Curitiba a Florianópolis, de Honda Biz 100, ele com esposa e bagagem. Tá certo que a estrada é duplicada o que aumenta segnificativamente a segurança mas mesmo assim é uma mostra de coragem e espírito aventureiro.

 

Outra de suas proezas foi fazer o mesmo percurso (CTA-FNS) a bordo de uma Suzuki Yes 125, também com a esposa mais bagagem, com tempo chuvoso e à noite. Eles me contaram que num determinado trecho da estrada resolveram seguir um caminhão para se beneficiarem de um guia para o caminho. Só que o motorista do caminhão deve ter ficado com medo e chamou outro caminhoneiro pelo rádio e este tentou atropelá-los, talvez achando que fossem ladrões tentando assaltar o primeiro caminhão. Culpa da má imagem que temos - todo motoqueiro é bandido, principalmente se estiver com garupa.

 

Comum é ambos fazerem o trajeto Curitiba-Santos, tendo já registrado inúmeras vezes esse trajeto.

 

Outro exemplo que merece ser citado é do Casal Pé-de-Pano de Santos, que aventura-se na estrada de Honda 100 Dream, sem preocupação com a hora de chegar, priorizando o prazer de desfrutar a estrada.

 


Honda C 100 Dream

 

Aquele incidente que citei no primeiro parágrafo aconteceu na BR-116, antes da duplicação, com uma Yamaha RD-50. Numa subida ia um caminhão Mercedes, em torno duns 70 km/h e eu saí para ultrapassá-lo. Só que acabou a subida e iniciou-se uma descida e o caminhão foi ganhando velocidade, sem que eu tivesse conseguido concluir a ultrapassagem - já estava na frente dele, na outra pista, mas não conseguia ter velocidade suficiente para passá-lo e retornar à nossa pista de tráfego, pelo contrário, ele é que começava a andar mais rápido do que eu. Olhei para o motorista e o "desgraçado" ainda sorria do meu drama.

 

Quando olhei para a frente, vinham duas carretas Scania, daquelas alaranjadas, até da cor eu lembro. Não tive outra saída, como não teria tempo de entrar atrás do Mercedes, continuei acelerando e cheguei o mais próximo que pude da roda dianteira do caminhão e esperei as carretas passarem. Fiquei "ensanduichado" entre os caminhões. Sorte que elas estavam na subida e a velocidade não era muito grande.

 


Caminhão x moto: disputa desigual

 

Passou uma, passou a segunda, freei reduzindo a velocidade e deixei o Mercedes seguir seu caminho. Parei no acostamento e quase caí com a moto porque as pernas tremiam tanto que não davam para firmar apoio. Pessoal, foi uma experiência aterradora, que espero nunca mais ter que repetir.

 

Porisso que JUREI nunca mais ir para a estrada com qualquer moto que não consiga andar mais que os caminhões, seja na subida ou descida. E hoje os caminhões andam "na boa" a 130 km/h, daí tem que ser moto de no mínimo 400cc, que chegue a pelo menos uns 150 km/h.

 

 

7 comentários

Comentar post